The Witcher: criadora da série fala sobre o desenvolvimento de Yennefer

The Witcher: criadora da série fala sobre o desenvolvimento de Yennefer

Saiba mais sobre o processo de criação de uma das melhores personagens de The Witcher, Yennefer

Inspirado nos livros do polonês de ‎Andrzej Sapkowski, a americana Lauren Schmidt Hissrich deu vida a The Witcher como a maior estreia de todos os tempos na Netflix. Com grande elenco e uma narrativa épica empolgante, não demorou para a produção se tornar um sucesso.

Embora o material de Sapkowski tenha sido essencial, Hissrich deu seu próprio toque ao enredo, principalmente quando falamos sobre as personagens femininas e seu desenvolvimento. Yennefer, sem dúvida alguma, é a principal quando falamos de The Witcher.

Em entrevista ao Pure Fandom, a criadora comenta que queria “explorar as mulheres da série da mesma maneira detalhada e em camadas que os homens” e explica como foi o processo de re-escrever Yennefer com base nas informações que já tinha, mas também acrescentando suas próprias visões.

The Witcher: criadora da série fala sobre o desenvolvimento de Yennefer
Yennefer em The Witcher

Confira um trecho traduzido da entrevista:

PURE FANDOM: As personagens femininas desta série são fascinantes – abordando temas centrados na classe social, controle de seu corpo, destino, o que define você… seu objetivo. Para Yennefer, em particular, foram feitas alterações nos livros da série para mostrar o conflito de sua juventude e por que ela se endureceu, como o pai a vende para a bruxa Tissaia de Vries enquanto a mãe olha impotente (versus no livros, onde o pai sai e a mãe de Yennefer é abusiva). Houveram outras mudanças que você inicialmente queria fazer com Yennefer ou cenas escritas que você teve que cortar? Quais cenas foram cruciais para você guardar?

LAUREN HISSRICH: Quando eu mostrei The Witcher pela primeira vez na Netflix, falei sobre o quão importante era para mim explorar as mulheres da série da mesma maneira detalhada e em camadas que os homens – uma maré alta eleva todos os barcos, sabe? Personagens fortes geram personagens mais fortes geram histórias melhores geram um universo mais expansivo. Especificamente, eu queria conhecer Yennefer quando jovem, para ver as circunstâncias e as experiências que a transformaram na feiticeira dura, privada e independente que conhecemos e amamos nos livros. O autor, Andrzej Sapkowski, havia plantado pequenos momentos, flashbacks, pensamentos nos livros, vislumbres na vida mais jovem de Yennefer – mas como leitora, o que me perguntei foi por que Yen tentou se matar em Aretuza, ou como ela tinha lutado com a ideia de uma transformação física total. Essas foram as cenas mais importantes para mim e para os outros escritores: as cenas de por que e como. Assim, passamos dias na sala dos roteiristas debatendo como Yennefer se sentia em “ficar bonita” – seu conflito sobre a decisão de mudar sua aparência, seu conhecimento de que isso poderia influenciar seu poder e sua posição, sua aparente certeza sobre o que ela teria que fazer e perder, e sua inesperada percepção de que ela tinha uma forte espinha dorsal o tempo todo. Nós cavamos o vazio deixado em Yennefer por sua família abusiva e imaginamos se ela e sua mentora Tissaia de Vries poderiam crescer e mudar de maneiras dolorosas e boas para eventualmente se tornar uma família entre si. E debatemos como Yennefer conheceu Istredd, anos antes da história de “Shard of Ice” – especificamente, o que ela precisava dele e o que ele lhe deu, e como esse amor de novo e de novo poderia complicar sua força. natural com Geralt. Eu amo essas camadas que tiramos dos livros e depois expusemos. Mas sim, também houve muitas cenas que tiveram que ser cortadas dos episódios finais – essa é a maldição da televisão. Tivemos uma cena adorável no episódio 103, onde Yennefer, Fringilla e Sabrina discutiram como se sentiam sobre suas transformações e, olhando para trás, eu gostaria que pudéssemos ter mantido. Era um exemplo tão lindo de amizade feminina, e também teria servido de castigo a Fringilla um pouco mais antes de ela se juntar a Nilfgaard. Também filmamos uma cena em que Yen conheceu uma jovem Triss, que acabara de chegar em Aretuza; serviu para mostrar o quão longe Yennefer tinha chegado em seus anos em Aretuza, e criou um senso de orientação entre essas duas feiticeiras. Olhando para o futuro em algumas histórias que se desenrolam na segunda temporada, eu gostaria que ainda tivéssemos essas cenas! Mas tenho orgulho do que realizamos no tempo que tivemos.

Para trabalhar com tanta complexidade, entretanto, é preciso tempo.

The Witcher está renovada para a segunda temporada, mas só veremos os novos episódios m 2021, conforme previsão de lançamento divulgada pela Netflix.

Fonte: Pure Fandom